Resenha: O Ano em que te conheci

22:01

Título: Como se apaixonar | Autora: Cecelia Ahern | Editora: Novo Conceito |Edição: 1 | Nota: 3 de 5 

Sinopse: Bem-vindos ao mundo imperfeito de Jasmine e Matt. Vizinhos, eles não têm o menor interesse em tornarem-se amigos e nunca haviam se falado antes. Estavam sempre ocupados demais com suas carreiras para manter qualquer tipo de contato. Jasmine, mesmo sem nunca tê-lo encontrado, tem motivos para não suportar Matt.
Ambos estão em uma licença forçada do trabalho e sofrendo com seus dramas familiares. Eles precisam de ajuda.
Na véspera de Ano-Novo, os olhares de Jasmine e Matt se encontram de forma inusitada pela primeira vez. Eles têm muito tempo livre e precisam rever seus conceitos para poder seguir em frente. Conforme as estações do ano passam, uma amizade improvável lentamente começa a florescer.




Comentários

Na última resenha que escrevi sobre um livro da Cecelia Ahern (Como se Apaixonar) confessei naquele momento que a autora tinha se tornado uma das minhas escritoras contemporâneas favoritas. Até o momento tinha lido três livros surpreendentes (P.S Eu te Amo, A Lista e Como se Apaixonar), mas de vez em quando os nossos ídolos nos decepcionam e foi assim que me senti ao ler O ano em que te conheci.

A história, dividida conforme as estações do ano, é contada por Jasmine – uma mulher na faixa dos trinta anos que perdeu o emprego e é obrigada a cumprir uma licença de um ano para não trabalhar na concorrência. Workaholic assumida, Jasmine passa a enfrentar algumas crises existenciais e de convivência com os vizinhos que ela agora começa a notar já que tem tempo de sobra para ficar em casa.

E o principal foco desses conflitos – Matt – reside na casa em frente a sua. Radialista com opiniões sempre rodeadas de polêmicas, Matt leva uma vida de excessos e costuma chegar em casa de madrugada, bêbado e causar a maior cena com a esposa e filhos. O que Jasmine, que já o antipatizava devido a um dos assuntos abordados no programa, vai descobrindo aos poucos é que Matt também está tentando lidar com os seus próprios demônios relacionados ao afastamento forçado de seu cargo na rádio e a crise em seu casamento. 

O ócio ao qual os dois estão submetidos acaba resultando em uma convivência, nem sempre pacífica, que aos poucos vai se tornando lampejos de uma amizade. Até aqui tudo bem. No entanto, o que mais me incomodou nessa história foi a quantidade de conflitos secundários que envolvem a protagonista, alguns desses (como uma relação de Jasmine com seu primo) não tem nenhum tipo de conclusão. Essa quantidade de ramificações empobreceu o eixo central – amizade entre Matt e Jasmine – e deixou a história confusa e pouco fluída. Muitas vezes tive a sensação de ler páginas e páginas que não iam me levar a lugar nenhum. Ao mesmo tempo, e me causando o mesmo incômodo, outras situações aparentemente se resolviam do nada. 

Além de me surpreender, as narrativas da Cecelia costumam me envolver e me emocionar, mas não foi o caso de O ano em que te Conheci.



Também poderá gostar

2 comentários

  1. Olá, tudo bem? Amei conhecer seu blog, já estou seguindo!
    Gostei muito da resenha, ainda não conhecia esse livro.

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Érika!
    Tudo bem?

    Cecelia Ahern é uma autora bem polêmica na minha opinião porque conheço quem ama e também quem odeia. Hahahaha
    Como só li um livro dela, acho que ainda não posso opinar concretamente.

    E concordo totalmente com você, podemos amar alguns escritores, mas às vezes eles dão uma bola fora também. Isso acontece. Acho só que não podemos desistir de quem outras obras do escritor por conta de apenas um livro que não foi tão bom.

    Esse livro não me chamou muita a atenção, ainda mais com você comentando sobre as questões que não são resolvidas. Mas A Lista é um dos títulos que está na minha lista de "quero ler". Espero gostar tanto quanto você.

    Bjs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir