Resenha: Como se Apaixonar

02:34


Título: Como se apaixonar | Autora: Cecelia Ahern | Editora: Novo Conceito | Edição: 1 | Nota: 5 de 5 (Favorito)

Sinopse: Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor. Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo. Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?

                                              


                                                                  Comentários

Antes de me ater especificamente aos comentários deste livro devo fazer uma confissão: a Cecelia se tornou uma das minhas autoras prediletas. Os três livros que li até então me surpreendem pela capacidade que esta escritora tem de apresentar histórias tão humanas em toda a sua complexidade e beleza e de ter uma narrativa fácil que flui quase como uma conversa informal.

'Como se apaixonar' é narrado por Christine, que está desmoronando emocionalmente depois de não conseguir evitar o suicídio de um homem. A experiência traumática faz com que a protagonista repense todo o significado da sua vida, suas escolhas e a importância de buscar a felicidade. E assim, resolve acabar com o seu casamento sem amor e tenta colocar em prática os ensinamentos de diversos livros de autoajuda a fim de melhorar os aspectos de sua vida.

O que Christine não imaginava é que sua resistência seria testada mais uma vez com uma nova situação em que alguém desesperado tenta por fim a própria vida. Esse alguém é Adam. Frustrado com diversos aspectos de sua vida profissional e pessoal, Adam acredita que a única opção disponível seria pular da ponte e acabar de uma vez com o sofrimento. Entretanto, Christine estava determinada a não deixar que mais uma pessoa desistisse da vida diante de seus olhos e faz de tudo para convencê-lo a não pular. Os dois entram então em um acordo em que Christine tem duas semanas para mostrar pro Adam que viver vale a pena e que é possível se reencontrar com a felicidade.

O mais interessante nessa jornada de duas semanas que os dois embarcam é ver Christine tirar o foco dos seus problemas e sofrimentos e empregar todas as suas forças na esperança de que o Adam se encontrasse. Acho que a autora adicionou algumas características bem interessantes nos dois personagens e que isso trouxe leveza a narrativa sobre temas tão difíceis como suicídio e depressão. Christine tem essa loucura por livros de autoajuda do tipo “5 passos para ser feliz” e isso basicamente guia várias de suas ações durante a história e o Adam possui um sarcasmo que me arrancou algumas boas risadas. O humor também está presente em personagens secundários como o pai e as irmãs de Christine.

Como destaquei no início dessa resenha a autora mais uma vez me surpreendeu por criar uma narrativa tão verossímil. ‘Como se Apaixonar’ é um livro sobre as nossas fraquezas, as nossas possibilidades de nos reinventar, de encontrar novos horizontes e de perceber que a mudança, a felicidade e a sorte dos bons encontros estão na nossa disposição de olhar a vida sob outra perspectiva.





Também poderá gostar

3 comentários

  1. Parabéns pela resenha Érika! Já li Como se Apaixonar e curti bastante. Beijo!


    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  2. Tenho uma amiga que é fã dessa autora e lê todos os livros escritos por ela, eu ainda não li nenhum livro da Cecelia, mas quero mudar isso e acho que esse livro eu ia adorar ler.
    Bjs
    https://eternamente-princesa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, Érika!! Tudo bem?

    Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas tenho alguns amigos tão apaixonados quanto você por essa obra. Hahaha

    Me parece ser um texto apaixonante mesmo. E fácil de se criar empatia com esses personagens tão parecidos conosco, né?

    Vou adicionar na minha lista de leituras futuras! :)

    Bjs!!!

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br

    ResponderExcluir