[Resenha]: Eu estive aqui (Gayle Forman)

20:17




Título: Eu estive aqui | Autora: Gayle Forman | Editora: Arqueiro | Edição: 1 | Páginas: 240 | Nota: 3,5 de 5


Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.

Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.

Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.


*Livro cedido pela editora para resenha



Comentários



"Deixar nossas feridas cicatrizarem. Perdoar. E, às vezes, o mais difícil de tudo: perdoar a nós mesmos"

Página 174

Mesmo tenho conhecimento do sucesso de outros livros da autora, nunca tinha me interessado por alguma de suas narrativas até então. O que me chamou atenção em “Eu estive aqui” foi a premissa de abordar um tema tão complicado, como é o suicídio, pela perspectiva da amizade entre duas jovens.

No livro, Cody conta sua própria jornada após descobrir que Meg, sua melhor amiga desde os tempos da escola, tomou um frasco de veneno em um quarto de hotel e deixou apenas um e-mail impessoal e pouco esclarecedor. Não é apenas a morte de Meg que deixa Cody arrasada, mas também a culpa por não ter percebido nenhum sinal de que a amiga se encontrava em uma situação tão desesperadora a ponto de decidir tirar a própria vida.

Depois de comparecer a várias cerimônias em homenagem a Meg, Cody parte, a pedido dos pais da amiga, em viagem ao alojamento estudantil que Meg morava para recolher seus pertences. Ao chegar em Tocoma, Cody se depara com uma faceta de Meg que nem ela conhecia. Os colegas de alojamento descrevem uma garota que nada se parece com sua melhor amiga. Cody fica ainda mais intrigada quando descobre uma série de arquivos estranhos no computador de Meg. Tais situações instigam a garota a querer saber mais sobre o que Meg estava realmente passando e tentar preencher as lacunas do seu suicídio.

“Eu estive aqui” se apresentou para mim como uma jornada de redenção. Todo o movimento do narrador-personagem (Cody) reflete uma busca por respostas, mas também por perdão. Mais do que descobrir coisas sobre a amiga, Cody também se descobre e passa a dar novos significados a sua vida.

Apesar de bem construída, tenho que fazer algumas ressalvas a narrativa da Forman. Achei os capítulos, principalmente os primeiros, extremamente curtos e isso me fez demorar um pouco para me envolver. Outra coisa que não sou muito fã é da narração em primeira pessoa, claro que nesse caso fazia todo o sentido visto que o intuito é mostrar como a Cody reagiu. Mesmo assim, acho que por vezes a narrativa se dispersa e fica melodramática. Por fim, achei que a autora deveria ter tomado mais cuidado com nome de medicamentos tendo em vista o tema do próprio livro.

Mesmo com as ressalvas, eu gostei do livro e indico principalmente para quem é fã da autora. A leitura é fluída e apesar do tema tão pesado, Forman conseguiu pincelar romance, mistérios, esperança e perdão.



Érika Rodrigues

Também poderá gostar

3 comentários

  1. Olá! Apenas li Se eu ficar da autora. Não curti muito, e sei que preciso ler Para onde ela foi para tirar esta má impressão. Depois disso quero ler os outros livros da autora ♥ Espero gostar!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Olá Érika!
    Eu já estava querendo ler esse livro não só por conhecer a autora, mas pelo tema em si. Depois de ler "Os 13 porquês" e "Por lugares incríveis" (super recomendo) esse tema suicídio se tornou algo que gosto, não quero parecer mórbida e nem nada disso, mas é tão comum hoje você ligar a TV e ver que alguém se matou, acredito que esses livros nos ajuda a pelo menos imaginar o que poderia se passar na cabeça dessas pessoas antes de mesmo de querer julgar. Meu coração dói muito durante essas leituras, mas é algo que ao terminar nós sabemos que é possível tirar algum proveito para nossa própria vida. Apesar das suas ressalvas eu acredito ser um bom livro, vou querer conferir essa história.

    Beijos
    Dani Cruz
    blog-emcomum.blogspot.com.br
    Twitter - @blogemcomum / Insta - @blogemcomum / Fanpage Em Comum

    ResponderExcluir
  3. Oi, Érika!

    Confesso que nunca li nada da autora. Minha amiga leu Se Eu Ficar e gostou, mas me disse que tinha horas que ela queria apressar as coisas... Rsrsrs
    Fiquei interessada no livro, mas obrigada pelas ressalvas. Assim já me preparo psicologicamente! Rsrs

    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir