[Resenha]: Para Sir. Phillip, com amor (Julia Quinn)

19:14


Título: Para Sr. Phillip, com amor | Autora: Julia Quinn | Editora: Arqueiro | Edição: 1 | Páginas: 288 | Nota: 4 de 5
Sinopse: Para Sir Phillip, Com Amor - Eloise Bridgerton é uma jovem simpática e extrovertida, cuja forma preferida de comunicação sempre foram as cartas, nas quais sua personalidade se torna ainda mais cativante. Quando uma prima distante morre, ela decide escrever para o viúvo e oferecer as condolências. Ao ser surpreendido por um gesto tão amável vindo de uma desconhecida, Sir Phillip resolve retribuir a atenção e responder. Assim, os dois começam uma instigante troca de correspondências. Ele logo descobre que Eloise, além de uma solteirona que nunca encontrou o par perfeito, é uma confidente de rara inteligência. E ela fica sabendo que Sir Phillip é um cavalheiro honrado que quer encontrar uma esposa para ajudá-lo na criação de seus dois filhos órfãos. 
Após alguns meses, uma das cartas traz uma proposta peculiar: o que Eloise acharia de passar uma temporada com Sir Phillip para os dois se conhecerem melhor e, caso se deem bem, pensarem em se casar? 
Ela aceita o convite, mas em pouco tempo eles se dão conta de que, ao vivo, não são bem como imaginaram. Ela é voluntariosa e não para de falar, e ele é temperamental e rude, com um comportamento bem diferente dos homens da alta sociedade londrina. Apesar disso, nos raros momentos em que Eloise fecha a boca, Phillip só pensa em beijá-la. E cada vez que ele sorri, o resto do mundo desaparece e ela só quer se jogar em seus braços. 
Agora os dois precisam descobrir se, mesmo com todas as suas imperfeições, foram feitos um para o outro.

*Este livro foi cedido pela editora para resenha 

Comentários



Quem acompanha o blog já deve ter percebido que eu amo romances de época e quando se trata desse tipo de narrativa a Julia Quinn é uma excelente contadora de histórias. Em Para Sr. Phillip, com amor - quinto livro da série “Os Bridgertons” – conhcemos a história de Eloise Bridgerton. 

Apesar da beleza e de já ter participado de várias temporadas de bailes na sociedade londrina, Eloise ainda está solteira e se engana quem pensa que esse título pejorativo na época incomodava a jovem. Afinal o problema não residia em receber propostas de casamento, Eloise queria encontrar o amor avassalador que seus irmãos mais velhos pareciam ter encontrado. Com a idade avançando e nenhuma grande paixão em seu caminho a jovem se conforma com o fato de que ficará solteira desde que possa gozar da companhia de Penélope, sua melhor amiga e forte candidata a solteirona. No entanto, quando Penélope anuncia o casamento com Colin, as certezas de Eloise quanto a uma vida sozinha começam a mudar. 

Além de ser bastante falante, Eloise também nutria um amor pelas cartas e as escrevia com frequência para parentes e conhecidos. Ao saber do falecimento de uma prima distante, Eloise resolve mandar uma carta com suas condolências ao viúvo – Phillip. A partir daí os dois começam um troca constante de correspondências. Essa comunicação segue até o momento em que a jovem é convidada por Sir. Phillip para passar um tempo em sua propriedade afim de descobrir se os dois se dariam bem, já que Eloise estava solteira e Phillip em busca de uma nova esposa. 

Phillip é um cavalheiro com todos os atributos positivos que esse adjetivo possui, mas vinha levando a vida de maneira caótica após o falecimento da esposa e a responsabilidade de gerir a casa e cuidar dos filhos gêmeos Oliver e Amanda. Ele via a ideia de se casar novamente apenas pelo lado prático (alguém para assumir as reponsabilidades do lar) e completamente despida de idealismos românticos. 

A chegada de Eloise traz um dinâmica completamente diferente a narrativa, pois além de acompanharmos o possível entendimento dos dois, que tem personalidades tão distintas, ainda temos o prazer de conhecer todas as traquinagens dos filhos de Phillip que fazem de tudo para dificultar a estadia da jovem. 

Apesar do peso que o passado de Phillip carrega e dos medos de Eloise essa é provavelmente uma das narrativas mais divertidas depois de “O visconde que me amava”. É impossível não dar algumas gargalhadas com os gêmeos ou com os atritos entre o casal. Ressalto também que para quem acompanha a série é difícil não sentir certo saudosismo quanto as crônicas da nossa fofoqueira predileta – Lady Whistledown. 

Érika Rodrigues

Também poderá gostar

3 comentários

  1. Olá Eriká, li "Os segredos de Colin Bridgerton" e já estava louca pela continuação, está na estante ao lado e com sua resenha a curiosidade só aumentou. De todos os livros até agora o meu favorito é "Um perfeito Cavalheiro" ♥ E também já estou com saudades de Lady Whistledown, mas tudo foi por uma boa causa afinal! haha

    Beijos
    Dani Cruz
    blog-emcomum.blogspot.com.br
    Twitter - @blogemcomum / Insta - @blogemcomum / Fanpage Em Comum

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Eu li um romance de época outro dia e constatei que o gênero realmente não é para mim, mas gostei muito da resenha, o público desse tipo de livro é imenso.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Saudações Lady Érika,
    Sou apaixonada pelos livros da Julia Quinn e por romances de época. Preciso estar no "espírito" mas dificilmente algum me desagrada.
    Ler a sua resenha me deu uma saudade imensa do livro e dos sentimentos que ele me causou. Acho que até o relerei hoje.
    Ótima resenha!

    Venha visitar o Castelo
    Att
    Ana P. Maia ♛
    The Queen's Castle

    ResponderExcluir