Arqueiro

[Resenha]: Um Perfeito Cavalheiro (Julia Quinn)

16:32


Título: Um Perfeito Cavalheiro | Autora: Julia Quinn | Editora: Arqueiro | Edição: 1 Páginas: 304 | Nota: 4 de 5 


Sinopse: Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhce o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.



Comentários: 


No terceiro livro da série Os Bridgertons, Julia Quinn faz uma releitura do conto de fadas ‘Cinderela’ para contextualizar a história de vida de Sophie. Em mais uma trama envolvente, criativa e bem humorada, a autora nos apresenta uma história de amor cujos protagonistas pertencem a classes sociais diferentes. E por se tratar do ano de 1815, isso pode ser um grande entrava ao romance.

A temporada de eventos sociais 1815 tem seu ápice em um baile de máscaras promovido pelos Bridgertons, e essa era mais uma oportunidade das mães casamenteiras tentarem conseguir bons maridos para suas filhas. O solteiro mais cobiçado do momento era Benedict Bridgerton, que passou a atrair a atenção das mães após o casamento de Anthony – o mais velhos da família. Ben, no entanto, não se mostra muito confortável com a ideia de casar, apesar dos esforços incansáveis de sua mãe – Violet. 

Porém durante o baile Benedict se encanta por uma moça bonita e misteriosa que rouba a atenção de todos ao entrar no salão. Após uma dança e um conversa intensa, a tal moça simplesmente vai embora sem ao menos revelar seu nome ou deixar que ele visse seu rosto sem a máscara. Durante certo tempo Benedict ainda procura a tal mulher encantadora, mas suas iniciativas não tiveram sucesso. 

A jovem misteriosa era Sophie Beckett. Filha bastarda de um conde, Sophie passou parte de sua infância sendo criada como uma menina da sociedade, mas quando seu pai decide casar sua vida muda completamente. E após o falecimento do conde, a madrasta de Sophie passa a tratá-la como uma criada. A ida de Sophie ao baile foi possível com a ajuda dos empregados do conde que não concordavam com a forma que ela era tratada. Mesmo tendo uma história de vida difícil, Sophie é uma mulher forte, determinada e dificilmente se lamenta das situações em que se vê obrigada a passar.

A história de Benedict e Sophie tem várias reviravoltas ao longo da narrativa e todas são muito bem construídas fazendo com que esse terceiro volume siga o padrão dos dois primeiros. Achei que a Julia construiu uma história e personagens mais ousados em Um Perfeito Cavalheiro; e diferentemente de algumas criticas que ouvi, não achei esse livro cansativo ou inferior aos já publicados.

Outro ponto positivo dessa narrativa é a participação de outros membros da família Bridgerton com destaque para Violet que tem papel crucial no desenrolar da história do casal. E como não há como não citar, a nossa cronista da sociedade, Lady Whistledown, está mais afiada a cada livro. Sem contar que a autora vai dando maiores pistas sobre a identidade da maior fofoqueira de Londres. Indico!

"- Esta noite eu estou transformada - sussurrou ela. - Amanhã, eu desaparecerei.
Benedict a puxou para perto e deu um beijo breve e suave na sobrancelha dela.
- Então teremos que fazer uma vida inteira caber nesta noite."
Página 46


Sobre a estrutura

O livro é narrado em terceira pessoa e apresenta os pontos de vista de Benedict e Sophie sobre os fatos. . A linguagem é bem dinâmica e muito bem humorada o que com certeza contribui para uma leitura rápida.

Os capítulos possuem tamanho mediano e, assim como nos primeiros livros da série, são iniciados pelas crônicas da sociedade de Lady Whistledown.

Érika Rodrigues

Música

[Playlist]: Dia do amigo

14:39





Olá leitores,


Em comemoração ao Dia do Amigo e Dia Internacional da Amizade, resolvi compartilhar com vocês uma seleção de músicas que tem tudo a ver com a data. Aumenta o som =D




Keep smiling, keep shining

Knowing you can always count on me, for sure

That's what friends are for

In good times and bad times

I'll be on your side forever more

That's what friends are for




“Se não fosse as amigas, que eu posso contar
Não sei o que seria de mim,
pois quem tem amigas não chora sozinho
sem elas seria meu fim”




"May God bless and keep you always
May your wishes all come true
May you always do for others
And let others do for you
May you build a ladder to the stars
And climb on every rung
May you stay forever young"




I'll be there for you
(When the rain starts to pour)
I'll be there for you
(Like I've been there before)
I'll be there for you
('Cause you're there for me too)





Gostaram das indicações?

Érika Rodrigues

Cinema

[Frame]: As vantagens de ser invisível

22:05




Olá leitores!

O frame desse mês foi extraído da adaptação As Vantagens de ser Invisível. O filme conta a história de Charlie, um jovem que tem dificuldades para interagir em sua nova escola. Com os nervos à flor da pele, ele se sente deslocado no ambiente... até o dia em que dois amigos, Patrick e Sam, passam a andar com ele.



“Nós aceitamos o amor que acreditamos merecer.”








O que acharam da sugestão? Já conheciam o filme?


Érika Rodrigues

Literatura

[Tag]: Redes sociais

16:17




Olá leitores!
Hoje vim responder um tag bem legal que foi traduzida pela Tati, do Tiny Little Things. O objetivo da tag é associar livros a algumas características das redes sociais. Então, vamos lá!


Twitter  
{Um Livro que você quer compartilhar com todo mundo}




Como eu era antes de você – Esse foi o segundo livro da Jojo Moyes que li e o responsável por me encantar um pouquinho mais com as narrativas da autora. A história e linda, emocionante e os personagens são cativantes. Se quiser saber mais da uma olhada na resenha aqui.







Facebook
{Um livro do qual você gostou muito e foi indicado por outra pessoa}





Jardim de Inverno – Tem pouquinho tempo que fiz essa leitura e ainda estou meio no universo dos personagens criados pela Kristin Hannah. A indicação partiu da Fran, blogueira do universo literário, e eu ainda nem tive a oportunidade de agradecer por me apresentar essa história incrível.







Tumblr 
{Um livro que você leu antes de criar o blog e do qual ainda não fez post}





Cem anos de solidão – Eu li Cem anos de solidão em 2008 e nunca me senti muito qualificada para resenhar esse livro. Gabriel García constrói um universo incrível dentro da realidade fantástica. Recomendo demais a leitura.








Myspace 
{Um livro que você não tem a intenção de reler}




O Lado bom da vida – Fiquei bastante decepcionada com a leitura desse livro. Em virtude de todos os comentários em torno do livro e da adaptação, acabei esperando muito mais dessa história. Fiz alguns comentários aqui.






Instagram 
{Um livro com capa bonita ou um livro “fotogênico”}




Eu sei que vou te amar – Além da capa e todo o trabalho gráfico, esse livro também apresenta uma história excelente. Um dos melhores livros de autores nacionais que tive a oportunidade de ler.






Youtube 
{Um livro do qual você gostaria de ver uma adaptação para o cinema}






Feriado de mim mesmo – Também tem um tempinho que fiz essa leitura. Esse é mais um livro nacional com uma ótima história. A trama me deixou bastante intrigada acho que daria um ótimo filme.









Skype
{Um livro com personagens com os quais você gostaria de conversar }




O Visconde que me amava – Esse foi um dos livros de época mais legais que já li. Adoraria conversar com todos os Bridgertons e com a Kate também. Se quiser conhecer mais sobre essa divertida história construída pela Julia Quinn clique aqui.









E então o que acharam da tag? Mais uma vez não vou marcar nenhum blog para responder, mas se for responder não se esquece de deixar o link nos comentário para que eu possa dar uma olhada. Aproveite o clima da tag e visite os nossos perfis nas redes sociais.



Érika Rodrigues

Intrínseca

[Palavras do mês]: O que li em Junho

11:32

tumblr


Olá leitores!

O mês de junho foi bem atípico para mim em termos de leituras. Finalizar meu projeto de pesquisa, começar em um novo estágio e o TCC colocaram a minha rotina de cabeça para baixo. E isso sem falar nos jogos da copa rs. Sendo assim, em junho li apenas dois livros, mas fico feliz porque foram duas ótimas leituras.


Jardim de Inverno - Kristin Hannah

Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas. A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história. Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são. “Difícil não rir um tanto e chorar ainda mais com a história de mãe e filhas que se descobrem no último momento.” – Publishers Weekly A história que sua mãe conta é como nenhuma outra já ouvida por elas antes — uma história de amor cativante e misteriosa que dura mais de sessenta anos e parte da Leningrad congelada e devastada pela guerra até o Alasca, nos dias atuais. A obessão de Nina por esconder a verdade as levará a uma inesperada jornada ao passado de sua mãe, onde descobrirão um segredo tão chocante, que abala a estrutura da família e muda quem elas acreditam ser.

Comentários: Esse foi mais um livro que li por indicação da Fran do Universo Literário, mais um da Kristin Hannah e mais um livro com uma história linda e intensa. A resenha desse livro deve sair ainda esse mês e espero ser capaz de comunicar com clareza o quanto essa história me cativou.



O Teorema Katherine - John Green

Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.

Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Comentários: Mais um livro do John Green e mais uma ótima história. O Green é mestre em escrever livros para jovens e esse em específico trás como personagem principal um prodígio que só se apaixona por meninas com o mesmo nome. Também pretendo publicar a resenha ainda esse mês.


E vocês, o que leram em junho?

Érika Rodrigues