Repasse Literário: Resenha do livro 'Extraordinário'

20:38





 Olá leitores!

A postagem de hoje é fruto da primeira edição do Repasse Literário, que é um concurso cultural promovido pelo Clube do Livro Sergipe do qual eu faço parte. A ideia é selecionar, por meio de sorteio, três leitores para realizar a leitura de um livro escolhido e posteriormente escrever uma resenha emitindo sua opinião. Ao final, a resenha mais votada entre os organizadores do concurso ganha um exemplar do livro lido. 

O primeiro título escolhido foi Extraordinário, da  R. J. Palacio e as sorteadas da edição foram a Tayara Chagas, a Thamares Pimentel e a Suzane Oliveira. As meninas escreveram ótimas resenhas e confesso que foi bem difícil votar em apenas uma. 

Abaixo você pode conferir os comentários da Suzane Oliveira, ganhadora da primeira edição do nosso concurso.





"Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil." Dr. Wayne W. Dyer

Fora do comum. Diferente. Admirável, espantoso, incrível. Excepcional. Esses são alguns sinônimos para a palavra “Extraordinário” e podemos classificar o livro de mesmo nome, da autora R. J. Palacio, com esse adjetivo. Este é o seu livro de estréia e difunde uma linda mensagem pelo mundo.

Iniciei a leitura como parte do processo “Repasse Literário”, realizado pelo Clube do Livro Saraiva – Se, e devo admitir que se não fosse por isso, provavelmente não o leria. Sim, eu fujo das sinopses mais “tristes”.

Surpreendi-me com a leitura desde as primeiras linhas, a partir daí foi paixão a primeira lida! A leitura é simples, mas interessante, flui tão fácil quanto respirar, quando se vê, estamos quase passando do ponto de ônibus onde deveríamos descer (rsrs).

August Pullman tem 10 anos, nasceu com uma síndrome genética que deformou seu rosto, por conseqüência, passou por mais de 20 cirurgias para tentar reconstruí-lo, o resultado dessas cirurgias? Não vou descrever minha aparência. Não importa o que você esteja pensando, provavelmente é pior (p.11). Assim, somos apresentados a rotina da vida de Auggie (apelido familiar), desde o seu nascimento até seu primeiro ano na escola.

O livro é dividido em 8 partes, narrado por 6 personagens que possuem maior relevância, duas delas pelo nosso personagem principal. Há uma grande vantagem em ter mais de um narrador: conseguimos ter a visão geral dos fatos, além disso, nos envolve na trama como um todo e não nos cansa. Dentre essas partes, uma chamou-me atenção, ela é narrada por Justin namorado da irmã do August - e não possui a diferenciação de letras maiúsculas/minúsculas ou travessões para marcar os diálogos. Inicialmente, achei que fosse um erro de revisão da edição, mas analisando o livro como um todo notei que era proposital, que talvez houvesse algo implícito nessa desorganização, quem sabe caracterizar o Justin: seria ele desatento? Ou incapaz de diferenciar as coisas, as pessoas? Sobre o assunto, Palacio diz: as pessoas me perguntaram por que coloquei a parte do Justin em minúsculas. tudo que posso dizer é que ele é o tipo de cara que usa minúsculas, ressalto que essa afirmação também foi feita em minúsculo.

O que eu achei da obra? Eu simplesmente fiquei encantada, a ponto de desejar que a autora desse continuação, e por que não mostrar o Auggie jovem/adulto? É inocência acreditar que as pessoas não são cruéis, que a perfeição não é uma regra a qual tentamos seguir, mostrar como o personagem está enquanto adulto pode ser muito bom. Por fim, só resta dizer que super-recomendo a leitura!


Por Suzane Oliveira

Também poderá gostar

3 comentários

  1. Eu amo esse livro, ele é simplesmente incrível. Gostei muito da resenha da Suzane e me senti exatamente como ela, querendo uma continuação da história do extraordinário Auggie.
    Adorei a ideia do Clube do Livro, bem que poderia ter na minha cidade haha!
    Beijos!
    http://borboletasliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Suzane!
    Esta ai um livro que não tenho muito interesse em ler. Já conversei com várias pessoas sobre ele e também li muitas resenhas positivas. Mas, talvez por se tratar de uma criança com uma história tão forte, não me fez ter coragem para iniciar a leitura.
    Quem sabe um dia, certo? rs
    Adorei sua resenha :)

    Beijos,
    Fernanda.
    http://blogimaginacaoliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir