A corrente literária do bem

18:35

Arquivo (Esqueça um livro)



Idealizado pelo paulista Felipe Brandão, o projeto “Esqueça um livro” pretende estimular o desapego literário e fomentar a leitura de uma forma inusitada e divertida a partir da seguinte premissa: “Você esquece um livro e compartilha conhecimento. Quem encontra, leva pra casa e depois esquece também. Assim o conhecimento se espalha”. 

Felipe segue na contramão da maioria dos leitores que desejam ter uma enorme estante repleta de livros. Para o jornalista, que também trabalha no marketing de uma editora, não há sentido em manter uma grande quantidade de livros já lidos na estante de casa. Sendo assim, optou por “abandonar” alguns livros em locais públicos (como ônibus, estação do metro) da cidade de São Paulo, dando origem ao projeto “Esqueça um livro”.

Arquivo (Felipe Brandão)
Em sua página pessoal, Felipe Brandão explica que “A ideia é inspirada no conceito de BookCrossing, criado nos EUA no começo dos anos 2000. Combinando leitura e urbanidade, o conceito convida os leitores a deixar um livro em local público, para que outra pessoa o encontre, o leia, e volte a abandoná-lo, ampliando assim o acesso à leitura”.

A forma criativa eleita pelo jornalista para compartilhar conhecimento e se desapegar dos livros vem rendendo bons frutos. De acordo com o idealizador, não é possível mensurar a quantidade exata de livros que já foram esquecidos, mas o número deve ultrapassar os dois mil exemplares. A iniciativa também inspirou leitores de outras cidades a dar seguimento com a corrente literária do bem, como é o caso da cidade de Maceió. 


Conheça mais sobre o projeto: Facebook | Blog


Érika Rodrigues

Também poderá gostar

4 comentários

  1. A ideia é muito boa, mas não sei se conseguiria me desfazer dos meus livros, emprestar, tudo bem, desfazer acho que não kkkk

    os-jovens-leitores.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa, sou muita apegada aos meus livros, gosto de reler também, empresto, às vezes, mas abandonar... NÃO! Fico pensando que a ideia é legal, com boas intenções mas ficaria pensando no destino que o meu livro iria tomar... talvez ele fosse até para o lixo... apesar de ter catadores que valorizam os livros! Mas ainda sou resistente a isso! hahaaha

    http://asassecretas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, amei amei amei a ideia!
    Sera que eu posso copiar a ideia dele? Deu uma vontade de iniciar algo assim na minha cidade!
    =D

    http://amolivrosdeverdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Eduarda! Acho que a intenção dele é que outras pessoas possam repetir em outras cidades, bem como aconteceu em Maceió. :)

      Excluir